exaem
MENU
Imagem da área

Arte contemporânea e Memória: o Arquivo como meio de Investigação Artística

SOBRE

CARGA HORÁRIA: 24 horas-aula

PERÍODO: 13 de setembro a 01 de novembro/2018

DIAS DA SEMANA: Quintas

HORÁRIO: 19h30 – 22h

INVESTIMENTO TOTAL:
Público externo: 5 parcelas R$177,00
Aluno, Ex-Aluno Formado, Funcionário e Professor: 5 parcelas R$159,30

FORMA DE PAGAMENTO:
Cartão de Crédito - Visa ou Mastercard (com cartão de crédito a matrícula pode ser realizada pela internet)
Cheque pré-datado – matrículas somente presencial
Boleto à vista – enviar e-mail para cursos.sp@faap.br  

CAMPUS: São Paulo

OBJETIVO
O objetivo geral do curso é discutir o conceito de arquivo na arte contemporânea.

Nos últimos anos, uma série de artistas e curadores têm voltado suas pesquisas à temática da memória e suas estéticas. A imagem do arquivo, cheio de documentos, está no centro da imaginação do século 20 e da arte moderna, simbolizando a “certeza” de uma realidade fundada sobre as bases da ordem racional. Mas, o que pode ser mais irracional do que o arquivo visto do ponto de vista da arte?

Para compreender a relação entre arte e arquivo, será necessário analisar o lugar do arquivo como forma e conteúdo de experimentação artística a partir do início do século 20 e seus desdobramentos na arte contemporânea. Por que os arquivos foram introduzidos como modelos nas artes?

Nas aulas, o curso visa discutir a noção de arquivo como dispositivo para abordar tipos de operação artística que se utilizam da cópia, da citação e da apropriação como estratégia de criação e material de trabalho. Em que medida analisar o conceito de arquivo a partir do seu contato com a arte contemporânea, nos permite problematizar não só o arquivo, mas a prática artística que se volta a ele?

Serão feitas análises da produção de artistas contemporâneos, na tentativa de discutir o arquivo como dispositivo e mapear tipos de operação artística sobre a memória.

A QUEM SE DESTINA:
Público em geral, com especial atenção para alunos de graduação e pós-graduação e profissionais das áreas de Humanas, com foco para as Artes, Ciências Sociais, História e Comunicação.

PRÉ-REQUISITO:
O curso é voltado para o aluno que tem interesse em desenvolver reflexão sobre arte contemporânea e suas práticas.

METODOLOGIA:
As aulas com grupo de estudo, a proposição é criar um grupo de conversa a partir da temática proposta para cada encontro. A partir da leitura de textos indicados, os encontros terão uma parte expositiva, seguida por conversas sobre práticas artísticas em torno do conceito de arquivo na arte.

PROGRAMA

AULA 1 –  Introdução: do arquivo ao anarquivo.
AULA 2 –  Apropriação, citação e cópia como estratégia artística.
AULA 3 –  Estéticas da memória: experiência histórica traumática na arte brasileira do século 21.
AULA 4 –  O anarquivamento como estratégia artística: análise da obra de artistas contemporâneos.
AULA 5 –  Estéticas da memória: análise de exposições e práticas curatoriais a partir de arquivos e acervos.
AULA 6 –  A problematização da relação entre arte e arquivo: A memória está na moda? O arquivo virou tendência?

DOCENTES

Profa Ana Pato 
É curadora, pesquisadora e professora. Doutora pela FAU/USP e mestra em Artes Visuais pela Faculdade Santa Marcelina. Foi curadora das exposições 20º Festival de Arte Contemporânea SESC_Videobrasil (2017), Quanto Pesa uma Nuvem?, de Gisellle Beiguelman (2016) e curadora-chefe da 3ª Bienal da Bahia (2014). Foi pesquisadora-associada do Museu de Arte Moderna da Bahia (2015) e diretora da Associação Cultural Videobrasil, onde trabalhou entre 2000 e 2012. Ministra disciplina em Arte e Novas Mídias, na pós-graduação em História da Arte, no Centro Universitário Belas Artes. É autora do livro Literatura Expandida: arquivo e citação na obra de Dominique Gonzalez-Foerster (2012).  Em suas pesquisas, dedica-se às relações entre arte contemporânea, arquivo e memória.   

A FAAP reserva-se o direito de alterar o corpo docente durante o curso em função de necessidades pessoais ou institucionais, não comprometendo a qualidade do curso.