lvmaf
MENU
Imagem da área

Moda, Arte e Filosofia: Relações e Diálogos para criação

SOBRE

CARGA HORÁRIA: 15 horas

PERÍODO: 21 de março a 04 de abril/2019

DIAS DA SEMANA: Terça e Quinta

HORÁRIO: 19h - 22h

INVESTIMENTO TOTAL:
Público externo: 5 parcelas R$ 152,00
Aluno, Ex-Aluno Formado, Funcionário e Professor: 5 parcelas R$ 136,80

FORMA DE PAGAMENTO:
Cartão de Crédito - Visa ou Mastercard (com cartão de crédito a matrícula pode ser realizada pela internet)
Cheque pré-datado – matrículas somente presencial
Boleto à vista – enviar e-mail para cursos.sp@faap.br  

CAMPUS: São Paulo - Sede

OBJETIVO: 
Propõe uma leitura do momento atual, a partir da relação entre Moda, Arte e Filosofia, apoiando-se nas metodologias arqueológicas e cartográficas. Transformar o olhar para a relação entre a Moda e a História por meio da filosofia, da história da arte, da fotografia, do cinema e da literatura.

A QUEM SE DESTINA:
Publico em geral.

METODOLOGIA:
O curso conta com aulas didáticas, a partir das exposições do professor, orientadas a partir da leitura conjunta de trechos selecionados de textos dos autores, e na exibição de conteúdos imagéticos.

PROGRAMA

Aula 1 – Moda e história

  • Conceituação da Moda, a partir do ponto de vista de Gilles Lipovetsky;
  • O que é o contemporâneo? A Moda como medida do Tempo em Giorgio Agamben;
  • Os estudos do capitalismo cultural do XIX de Walter Benjamin, no trabalho das Passagens;
  • Sobre o conceito de história na Tese XIV, a partir da Moda em Walter Benjamin;
  • Duas metodologias: a arqueológica e a cartográfica, a partir de Gilles Deleuze;
  • A história como princípio para a criação – Três exemplos: Inverno de 2007 da Balenciaga (trabalho cartográfico), Verão 2001 de Alexandre Herchcovitch e a coleção Mondrian de 1965 de Yves Saint Laurent (trabalhos arqueológicos).

Aula 2 – Moda e memória

  • O declínio da narrativa na Modernidade;
  • A modernidade segundo Walter Benjamin;
  • “O casaco de Marx” – Roupas, memória e dor;
  • Primo Levi: os sapatos e as roupas nos campos de concentração nazistas;
  • Um olhar paralelo para as obras do artista Christian Boltanski e para o estilista Christian Dior;
  • A Fotografia e a Moda: Amar aquilo que é ausente: Roland Barthes e a fotografia como convergência ou extravio do tempo;
  • As roupas sob o ponto de vista da crítica literária feminista da década de 80/90;
  • A moça tecelã de Marina Colasanti;
  • Narrar e Tecer – uma questão terapêutica e de verdade histórica;
  • Proust: a Penélope Moderna;
  • Dois olhares para as artes plásticas: Tatiana Blass e Edith Derdyk.

Aula 3 – Moda e narrativa

  • O que é narração?;
  • A imagem no mundo antigo e a imagem no mundo moderno;
  • Moda e Linguagem;
  • Relação entre Literatura e Moda;
  • Um passeio por autores como Virginia Woolf, Marcel Proust, Honoré de Balzac, Émile Zola, Gustave Flaubert, Machado de Assis e José de Alencar;
  • “A Moda e a Morte”;
  • O trabalho da artista plástica belga Isabelle de Borchgrave e um diálogo com a coleção “A Costura do Invisível” de JumNakao;
  • Os olhares das coleções de Alexandre Herchcovitch e Apartamento 03 para a obra “Orlando – Uma biografia” de Virginia Woolf. 

Aula 4 – Moda e arte

  • Diálogo entre a Moda e a Arte;
  • Releituras contemporâneas da Arte no processo de criação – Da Antiguidade ao Século XX;
  • Moda e Surrealismo – “O último instante da inteligência europeia”;
  • O último romântico: a relação da moda com o passado em Yves Saint Laurent e PietMondrian;
  • A Moda como uma Arte: Estética da Existência;
  • O dandismo dos séculos XIX e XX;
  • A questão do gosto: gosto espontâneo e o gosto judiciativo;
  • Passeio pelas obras de Hélio Oiticica, IsseyMiyake e Arthur Bispo do Rosário;
  • A criação como devir, a partir de Gilles Deleuze. 

Aula 5 – Moda e corpo

  • A Moda e o Corpo como linguagens;
  • Introdução à História do Belo no Ocidente – Três fases: Antiguidade Clássica Greco-romana (Madeleine Vionnet); Idade Média (Christian Lacroix); Idade Moderna (Christian Dior); Modernidade (Japonismo e Belgas);
  • Reinvenção das formas do corpo nos artistas modernistas, e o diálogo com o trabalho da Escola da Antuerpia e dos estilistas japoneses;
  • 1990 – Década de Opostos;
  • Agender – Nietzsche, Charles Baudelaire, Simone de Beauvoir, Judith Butler
  • Estilistas e marcas contemporâneas que abordam o Agender (Moda sem gêneros). 

DOCENTES

Brunno Almeida Maia
Pesquisador em Filosofia pela Unifesp e professor do Senac Lapa Faustolo, ministrou cursos sobre as relações entre a Moda, a Filosofia e a Literatura na Escola São Paulo, na FAAP, no Centro Universitário Belas Artes, na Biblioteca Mário de Andrade, na Fundação Ema Klabin, na ECA – USP, no Sesc Consolação, Sesc Pompeia, Sesc Ipiranga, Sesc 24 de maio, e no CPF – Centro de Pesquisa e Formação do Sesc SP. É autor do livro “O Teatro de Brunno Almeida Maia” (Ed. Giostri, 2014), “Moda Vestimenta Corpo” (Ed. Estação das Letras e Cores, 2015) e “São Paulo em Palavras” (Editora Aquarela Brasileira, 2017).