extof
MENU
Imagem da área

O Feminino: Modos de Construção de uma Narrativa

SOBRE

CARGA HORÁRIA: 18 horas

PERÍODO: 18 de março a 22 de abril/ 2019

DIAS DA SEMANA: Segundas

HORÁRIO: 19h30 – 22h30

INVESTIMENTO TOTAL:
Público externo: 4 parcelas de R$207,50
Aluno, Ex-Aluno Formado, Funcionário e Professor: 4 parcelas de R$186,75

FORMA DE PAGAMENTO:
Cartão de Crédito - Visa ou Mastercard (com cartão de crédito a matrícula pode ser realizada pela internet)
Cheque pré-datado – matrículas somente presencial
Boleto à vista – enviar e-mail para cursos.sp@faap.br      

CAMPUS: São Paulo – Sede

OBJETIVO: 
O curso parte de uma reflexão sobre a ideia de Enigma e de como, histórica e estilisticamente, este conceito esteve atrelado ao Feminino. A partir de temas centrais da psicanálise e do direito, e de obras da literatura e do cinema, o curso desenhará diversos contornos dessa complexa representação do Feminino. Como perguntava Freud, afinal, “o que quer uma mulher?”. A partir dessa questão, serão trilhadas as ideias de Falo, Falta, Desejo, Fantasia, Ficção, Escritura, Imagem e Narrativa. Colocaremos em questão, ainda, o lugar do corpo na cultura, sobretudo o corpo feminino e suas representações na Lei e no Direito. Para tanto, será abordado o documentário “À margem do corpo”, de Débora Diniz.

O módulo de literatura pretende discutir, a partir de três livros sobre situações de conflito, a forma como são construídas as narrativas de guerra, de militância e de divórcio quando contadas pelas protagonistas dessas histórias: a guerra junto ao Exército Vermelho em A guerra não tem rosto de mulher, de Svetlana Aleksiévitch, e o conflito doméstico em Dias de abandono, de Elena Ferrante. Buscaremos identificar se há traços estilísticos que possam ser associados a um olhar feminino – e, portanto, a uma forma feminina.

A QUEM SE DESTINA:
Alunos e profissionais de direito, cinema, literatura, comunicação, psicologia, psicanálise, sociologia, filosofia e demais áreas de Humanidades, Artes e afins.

METODOLOGIA:
Aulas expositivas, análise fílmica, análise literária e comentário da bibliografia indicada.

PROGRAMA

  • Noções de Representação, Racionalidade, Modernidade, Desconstrução, Enigma.
  • O direito à margem do corpo. Feminino, Corpo, Lei e Representação.
  • Psicanálise. A lógica fálica e suas derivações para a ideia de gênero e identificação.
  • Psicanálise. Dialética do desejo e da falta, Fantasia, Feminino e Potência.
  • Literatura. O feminino e a guerra. Discussão de A guerra não tem rosto de mulher, de Svetlana Aleksiévitch.
  • Literatura. O feminino e a guerra. Discussão de Dias de abandono, de Elena Ferrante.

DOCENTES

Maria Lucia Homem.
Psicanalista, Pesquisadora do Núcleo Diversitas FFLCH/USP e professora da FAAP. Mestre em Psicanálise e Estética pela Universidade de Paris VIII / Collège International de Philosophie e doutora pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP. Autora de No limiar do silêncio e da letra (Boitempo), com participação livros como Leitores e leituras de Clarice Lispector (Hedra), Cinema e psicanálise (nVersos), entre outros.

Marta Machado
É doutora, mestre e graduada em Direito pela Universidade de São Paulo. Atualmente é professora da Escola de Direito de São Paulo da Fundação Getulio Vargas e pesquisadora do Núcleo Direito e Democracia do Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (Cebrap). Tem experiência na área de Direito, com ênfase em direito penal, teoria geral do direito e sociologia do direito, atuando principalmente nos seguintes temas: dogmática jurídica, dogmática penal, direito penal da sociedade do risco, teorias da imputação, responsabilidade e legitimidade democrática, racismo e gênero. Foi professora visitante da Universidade de Toronto e Columbia em 2017.

Maria Rita Palmeira
É doutora em literatura brasileira pela USP (2009), com tese sobre literatura brasileira contemporânea, e mestre em Teoria Literária pela Unicamp (2000). Foi professora da Facamp (2001-2011), da Escola Superior Diplomática (2010-2011), e professora temporária na USP (2012). Desde 2008, é pesquisadora do projeto “Conexões Itaú Cultural: mapeamento da literatura brasileira no exterior”. Desde agosto de 2011, é editora-assistente da Três Estrelas, selo de não-ficção da Folha de S.Paulo.

Contardo Calligaris – PALESTRANTE CONVIDADO
Psicanalista, ensaista e escritor, italiano radicado no Brasil, Há mais de 20 anos, ele é colunista semanal da Folha de S. Paulo. Se formou em Epistemologia e em Letras e filosofia em Genevra. Em Paris, foi doutorando de Roland Barthes, em semiologia. E se formou na Escola Freudiana de Paris (a Escola de Lacan), da qual foi membro a partir de 1975.

É doutor em Psicologia Clínica pela Universidade de Provença (França), onde defendeu a tese "A Paixão de Ser Instrumento", estudo sobre a personalidade burocrática. Foi Professor visitante de Antropologia Médica na Universidade da Califórnia em Berkeley (Estados Unidos), e de Estudos culturais na New School of New York.

Calligaris é também roteirista (junto com Thiago Dottori), produtor, criador e diretor geral da série Psi, do canal HBO - Latin America. A série conta as historias do psicanalista, psicoterapeuta e psiquiatra Carlos Antonini, dentro e fora de consultório. A série, que está em sua terceira temporada, teve sua estreia em 26 países em 23 de março de 2014. A primeira temporada foi indicada ao Emmy Internacional de melhor série dramática. A quarta temporada está sendo escrita.

Livros publicados em português:

  • Hipótese sobre o fantasma (Artmed, 1986)
  • Introdução a uma Clínica Diferencial das Psicoses (Artmed, 1989)
  • Crónicas do Individualismo Cotidiano (Ática, 1996)
  • Hello Brasil (Escuta, 2000 [6ª ed.]
  • A Adolescência (coleção: "Folha Explica", Publifolha, 2001)
  • Terra de Ninguém (Publifolha, coletânea de textos publicados no jornal Folha de S.Paulo, no caderno Ilustrada)
  • Ilha Deserta (Publifolha, 2003)
  • Cartas a um jovem terapeuta (Elsevier, 2007)
  • Conto do Amor (romance, Companhia das Letras, 2008)
  • Quinta Coluna (Publifolha, coletânea de textos publicados no jornal Folha de S.Paulo, no caderno Ilustrada)
  • A Mulher de Vermelho e Branco (romenace, Companhia das Letras, 2011)
  • Todos os Reis Estão Nus (Três Estrelas, coletânea de textos publicados no jornal Folha de S.Paulo, no caderno Ilustrada, 2013)
  • Hello Brasil! (nova edição revisada e ampliada, Três Estrelas, 2017)

A FAAP reserva-se o direito de alterar o corpo docente durante o curso em função de necessidades pessoais ou institucionais, não comprometendo a qualidade do curso.