lvpal
MENU
Imagem da área

Panorama da América Latina

SOBRE

CARGA HORÁRIA: a definir

PERÍODO: a definir

DIAS DA SEMANA: a definir

HORÁRIO: a definir

FORMA DE PAGAMENTO:
Cartão de Crédito - Visa ou Mastercard (com cartão de crédito a matrícula pode ser realizada pela internet)
Cheque pré-datado – matrículas somente presencial
Boleto à vista – enviar e-mail para cursos.sp@faap.br    

CAMPUS: São Paulo – Sede

OBJETIVO
Fazer com que os alunos compreendam como é a América Latina de hoje, com base nas mudanças sócio-políticas dos últimos 10 anos.

A QUEM SE DESTINA:
Curso pensado para alunos da graduação de Relações Internacionais. Mas nada impede que estudantes de outras turmas integrem as aulas, especialmente os que cursam Comunicação e Economia.

METODOLOGIA:
 Aulas expositivas e incentivo ao debate. O objetivo é instigar os alunos a pensarem nas consequências dos acontecimentos e o reflexo hoje das decisões políticas e econômicas tomadas anos atrás. As aulas serão apoiadas por reportagens de época, gráficos e mapas que ajudem  na compreensão dos temas.

PROGRAMA

AULA 01
VENEZUELA NA ERA HUGO CHÁVEZ

  • Quem foi e o que fez Hugo Chávez na Venezuela.
  • Atenção inédita aos mais necessitados, a política assistencial, os erros e acertos dos programas sociais.
  • O perfil centralizador, o cerceamento à liberdade de imprensa e o sufocamento da oposição.
  • O petróleo como único alicerce da economia (e as consequências quando a commodity começou a perder força no mercado internacional)


AULA 2
VENEZUELA PÓS-CHÁVEZ E O GOVERNO DE NICOLÁS MADURO

  • Ascensão e queda da economia venezuelana - (em 30 anos o país deixou de ser a segunda maior economia das Américas para ter a maior inflação do mundo).
  • Torre de Davi como símbolo da ascensão e queda econòmica. A favela de Petare, onde os programas sociais chegam só para quem apoia o regime.
  • O projeto de Poder Popular. E a ineficiência de se criar grupos descentralizados de tomada de decisões.
  • A Assembleia Constituinte e a dissolução do Congresso em 2017.
  • O modelo de reeleição ilimitada que foi rechaçado pelo resto da América Latina.
  • Decisões políticas de Nicolás Maduro que fizeram a Venezuela ser excluída do Mercosul e desconvidada da Cúpula das Américas de 2018.


AULA 3
CUBA PÓS-ERA CASTRO

  • Pela primeira vez em quase 60 anos, a ilha comunista não é administrada pelos irmãos Castro. Quem assumiu o poder foi o vice-presidente. Quais as perspectivas de mudanças efetivas na política do país?
  • As mudanças implementadas por Raúl Castro - reaproximação com os Estados Unidos, reabertura das embaixadas, liberação do turismo americano e retomadas dos voos comerciais regulares.
  • Mudanças econômicas dos últimos anos: permissão aos cubanos para abrir pequenos negócios. Por que? Cuba precisava aliviar dois milhões de servidores da máquina pública.
  • As duas moedas em circulação em Cuba, e a necessidade da unificação dos câmbios.
  • Trump freando conquistas de Obama na diplomacia com Cuba e a resistência dos cubanos-americanos em negociar com um Congresso ainda influenciado pelos Castro.


AULA 4
BOLÍVIA ANTES E DEPOIS DE EVO MORALES

  • Pela primeira vez em 200 anos de independência, a Bolívia é governada por um presidente que descende de um indígena, que compõe a maioria da população.
  • A ruptura da antiga política da “meia-lua”.
  • A dependência econômica e política do parceiro Venezuela, e o problema da crise em Caracas que afeta o apoio a Morales.
  • A dependência da exportação do gás natural.


AULA 5
ARGENTINA HOJE E O LEGADO DEIXADO PELO CASAL KIRCHNER

  • A eleição de Maurício Macri reforça que a América Latina deixou para trás a influência dos governos de esquerda.
  • Altos e baixos da economia por conta dos projetos centralizados de Cristina Kirchner.
  • Os reflexos para a indústria brasileira de uma crise na Argentina, por conta das alianças firmadas no acordo do Mercosul.
  • Ascensão e queda do país que era oásis da América Latina: o centro cultura e um extensão da Europa aqui.


AULA 6
VIOLÊNCIA NA AMÉRICA CENTRAL, O CORREDOR DO NARCOTRÁFICO

  • O quadrilátero formado por El Salvador, Guatemala, Honduras e Nicarágua é o lugar mais violento do mundo. O índice combinado de homicídio nestes quatro países supera a média de mortes violentas em territórios em guerra, como a Síria.
  • Por trás da violência está o narcotráfico, que tem ramificações no México e nos Estados Unidos por meio de gangues como o MS13.
  • O processo de paz bem sucedido de El Salvador, onde a guerrilha FMLN deixou a luta armada e conseguiu eleger um presidente pelas vias democráticas em 2009.
  • A influência dos Estados Unidos para frear o avanço da esquerda e os efeitos colaterais


AULA 7
COLÔMBIA NA ERA PÓS-FARC

  • O fim de 50 anos de guerra civil levou ao pacto de paz mais importante da América Latina desde a libertação do continente no século 19. O acordou deu o prêmio Nobel da Paz ao presidente Juan Manuel Santos.
  • O panorama político do país, que aceitou a ex-guerrilha como partido político e os desdobramentos jurídicos da medida.
  • Os remanescentes das Farc, que se recusam a entregar as armas. Recentemente, um batalhão que permanece armado sequestrou e executou 3 equatorianos.
  • O plan Colombia de ajuda dos EUA para acabar com o narcotráfico.


AULA 8
PERU E O FUJIMORISMO REMANESCENTE

  • O Peru tem o único presidente preso por crimes contra a humanidade: Alberto Fujimori. Quem foi e o que fez o famoso “Chino”.
  • A política assistencialista de Fujimori, a derrota do Sendero Luminoso, a política do “Copo de Leite”.
  • O autogolpe, que garantiu Fujimori 10 anos no poder.
  • Do amigo a inimigo Vlademiro Montesinos.
  • Mesmo condenado por extermínio de opositores, Fujimori deixou herdeiros de sangue como seus representantes políticos. A filha mais velha, Keiko, por muito pouco não venceu as duas últimas eleições presidenciais e o filho, Kenji (senador) negociou com o ex-presidente Pedro Pablo Kuczynski o perdão presidencial. A jogada custou o mandato do presidente, que enfrentaria um processo de impeachment.


AULA 9

HAITI - O PAÍS MAIS POBRES DAS AMÉRICAS

  • Nada é tão ruim que não possa ficar pior. Prova disso é o Haiti, que detém o IDH mais baixo das três Américas e ainda por cima sua capital foi o epicentro de um dos terremotos mais destruidores da história. O lento processo de reconstrução. A MINUSTAH (intervenção militar da ONU liderada pelo Brasil). O passado de profunda corrupção liderada por dois ditadores que foram pai e filho (Papa Doc e Baby Doc).
  • Do topo ao fundo do poço em 200 anos. O Haiti foi a mais promissora das Antilhas Caribenhas que produziam 90% do açúcar consumido no mundo inteiro.

DOCENTES

Marcelo Augusto Favalli
Formado em Jornalismo pela Universidade Metodista de São Paulo (UNESP) em 2001 e atuante na mídia desde então. Trabalhou no canal japonês NHK, onde foi responsável por cobrir os temas da América Latina e, desde 2010 integra a equipe de assuntos internacionais da BandNews TV. Atualmente faz parte do corpo de apresentadores do canal e organiza o “Conexão com The New York Times”.

A FAAP reserva-se o direito de alterar o corpo docente durante o curso em função de necessidades pessoais ou institucionais, não comprometendo a qualidade do curso.